InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Aposentadoria: não deixe para depois. Planeje já!

V
ivemos atualmente, no Brasil, um período de enorme discussão e de grandes mudanças estruturais, com a flexibilização da terceirização, a reforma trabalhista e a reforma previdenciária, que se constituem em um objeto de amplos e acirrados debates, e tenho percebido que um dos principais, se não o principal ponto é pelo tempo necessário para a aposentadoria, que certamente será aumentado.

Já se propôs, entre outras coisas, que os critérios para a aposentadoria com valor integral passassem a ser um tempo mínimo de contribuição previdenciária de 49 anos e de idade mínima de 65 anos, o que sinceramente duvido que vá se concretizar agora, mas o aumento do tempo de contribuição é inevitável, tendo em vista que a população está envelhecendo e isto por si só gera um déficit, com mais pessoas recebendo benefícios e um número proporcionalmente menor de pessoas contribuindo.

Independentemente de ser favorável ou não à reforma, é preciso lembrar de que já nas atuais condições, a previdência oficial não atende a contento às necessidades dos seus contribuintes, o que se reflete, por exemplo, no decréscimo de renda pelo qual os aposentados passam, não sendo incomum terem se aposentado com o valor máximo, que em poucos anos se transforma no salário mínimo, e consequentemente, no seu empobrecimento.

Aposentar bem requer planejamento e começa cedo
Crédito: INSS Brasil
Assim, é importante, especialmente para as novas gerações, que certamente precisarão contribuir com a previdência por aproximadamente 40 anos, que estabeleçam um planejamento financeiro visando a aposentadoria e que o executem, para que possam complementar a previdência oficial, e preservar financeiramente esta fase da vida, em que alguns custos, principalmente com saúde, aumentam consideravelmente, muitas vezes a níveis absolutamente insuportáveis.

Planejando para a aposentadoria

Este planejamento tem de ocupar lugar de destaque entre os seus objetivos de vida, porque você dependerá bastante dos resultados dele no futuro, talvez sendo a sua única alternativa. Então, a regularidade é um fator fundamental, ou seja, é preciso investir nisso todos os meses, seja você assalariado, empresário ou rentista, ou ainda tudo ao mesmo tempo.

Os recursos para a aposentadoria precisam estar desvinculados de outros objetivos e ser aplicados em fundos que você escolha apenas com esta finalidade, ou seja, não misture com dinheiro que você vai usar para outras coisas. O ideal para esses recursos é que não haja resgates antes do momento da aposentadoria, para que os juros executem bem o trabalho de aumentar seu patrimônio. Outro ponto é a reavaliação constante, para que à medida que o valor acumulado aumente, você o direcione para alternativas de investimento com menores taxas de administração e até mesmo sem o imposto de renda.

Outra medida que pode contribuir bastante é aderir a algum plano de previdência privada, que vai direcionar a administração dos seus recursos a gestores profissionais e ainda vai te conceder deduções no imposto de renda, liberando um pouco mais de dinheiro para você. Analise dentre as opções de previdência qual será a mais útil para você, pois duas escolhas precisarão ser feitas:

1. Tributação progressiva ou regressiva: os especialistas mostram que a tributação progressiva é melhor para quem deseja fazer o resgate em parcelas mensais, como se fossem salários. Para quem quer o resgate de uma só vez, a melhor tributação é a regressiva.

2. PGBL ou VGBL: no caso do Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL), os valores investidos podem ser deduzidos do imposto de renda, no limite de 12% da sua renda bruta anual. Na hora do saque, o imposto é cobrado sobre todo o saldo. Já o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) não permite a dedução nas declarações do imposto de renda, mas na hora do saque, o imposto é cobrado somente sobre os juros.

Assim, comece já a pensar na aposentadoria e faça o seu melhor, porque mesmo um valor acumulado não tão alto já será uma boa contribuição para seu futuro e vai te ajudar a ter uma velhice mais despreocupada, que é aquilo que todos aqueles que trabalham merecem.