InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

domingo, 1 de janeiro de 2017

O que esperar de 2017?

F
eliz 2017, caros leitores! Muita paz, saúde, harmonia, amor e prosperidade! Que este ano seja de muitas realizações e de muitos objetivos cumpridos. O ano começa sob o signo da incerteza, afinal, em 2016 ocorreram muitas coisas no cenário político e institucional do Brasil, que vão repercutir não só neste ano, mas em 2018 e possivelmente mais além. O que esperar de 2017, então?

Para começar, devemos esperar um ano desafiador, mas que com certeza também nos trará oportunidades. Deveremos ter uma reforma previdenciária e uma reforma trabalhista, que dados os níveis atuais de desajuste das contas públicas, fatalmente resultarão em tempos maiores de contribuição para se aposentar pela previdência pública. Acredito que não serão os 49 anos propostos inicialmente, mas certamente haverá aumento do tempo de contribuição.

Esta mudança vai criar um fato já comentado antes aqui no blog: o de que as gerações futuras vão precisar trabalhar cada vez mais para se aposentar pelo INSS. Portanto, se você ainda não havia estruturado seus planos considerando este fator, refaça-os. O futuro vai requerer mais planejamento e mais aplicação neste sentido e não dá para esperar pela ajuda do governo.

Por outro lado, se percebe melhorias no retorno das aplicações financeiras, especialmente na bolsa de valores, cujo indicador principal, o Ibovespa, voltou a encerrar um ano com resultado positivo, de 36%. Isto não acontecia desde os 7% de 2012. Enxergo ali chances de bons ganhos no longo prazo (lembre-se que o longo prazo é uma soma de "curtos prazos"), a sinalização é positiva, já que o PIB do Brasil deverá crescer um pouco em 2017, e a inflação deverá ficar em um patamar de 6% a 7%.

Por falar em inflação, mais uma vez, por favor, fuja da caderneta de poupança, que deverá perder de novo para a inflação, e continuará sendo apenas uma forma de "jogar dinheiro fora". Se você ainda está nessa, mude suas aplicações de lugar, e procure melhores rentabilidades, que estão disponíveis, bastando apenas procurar com calma. Observe também o Tesouro Direto, ainda que provavelmente ele passará a remunerar um pouco menos neste ano, em função de quedas na SELIC, mas ainda será uma boa alternativa.

Porém, mesmo com toda a incerteza que hoje vivemos no Brasil, haverão oportunidades, e o fator mais importante para nosso crescimento e desenvolvimento depende somente de nós: é a nossa vontade e a nossa busca pela informação. Portanto, vamos em frente, com muita esperança e dedicação, e faremos de 2017 um ano muito bom. Tenho certeza disso.

Feliz Ano Novo!!!!