InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Faça por onde e a ajuda virá...

Q
ual é a origem do sucesso financeiro? Esta é uma das questões que a educação financeira visa responder. E ela precisa ser respondida para que possamos estabelecer métodos e procedimentos para administrar nossas finanças e conseguir progredir, alcançando os objetivos, fazendo o dinheiro servir  a nós e realizando o que desejamos.

Recentemente, a Folha de São Paulo (aqui) fez uma reportagem que aborda a questão acima, e cerca de 90% dos entrevistados atribui o sucesso financeiro a Deus, algo que não surpreende, considerando-se o nível de religiosidade de nosso povo. Quero ressaltar também que de forma alguma entendo ser inadequado que Deus seja considerado decisivo para o sucesso financeiro, mas na mesma reportagem há dados que criam preocupação.

Um percentual significativo dos entrevistados demonstrou crer que os pobres não conseguem mudar sua situação sócio-econômica por não ter fé em Deus. É uma relação causa x efeito muito simplista, afinal diversos fatores estão envolvidos: educação formal, acesso a informações que contribuam para o crescimento financeiro, desemprego, etc... E estes fatores são capazes, por exemplo, de modificar as pessoas, criando maior ou menor autoconfiança, maior ou menor interesse no tema "finanças pessoais", ou outras capacidades.

Sendo assim, resolvi tentar uma análise considerando os princípios que temos defendido aqui no blog: planejamento e equilíbrio. Sem planejamento, muito dificilmente alguém poderá alcançar o sucesso financeiro, já que o trajeto entre a situação atual e a situação desejada não estará claro o suficiente. Por sua vez, o equilíbrio nos permite conciliar curto e longo prazo, poupar e gastar, investir em renda fixa e renda variável, isto é, entender os dois lados que normalmente existem em todas as questões, e mais: nos permite saber aproveitar estes mesmos dois lados.

O que realmente importa nesta questão e que precisa ficar claro é que acreditando ou não em Deus, atribuindo ou não a Ele os resultados financeiros, todos precisam assumir as rédeas das suas vidas, inclusive sob o aspecto financeiro. Cada um precisa primeiro fazer por onde, e a ajuda virá, porque o sucesso financeiro vem das pessoas, e depois do auxílio que vem, seja Deus ou qualquer outra coisa que se acredite.