InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

domingo, 20 de novembro de 2016

Saber recomeçar é importante

A
jornada rumo à independência financeira está longe de ser um "passeio em águas calmas", afinal, existem alguns percalços no caminho, e uma das características que precisamos ter é exatamente a capacidade de superar as dificuldades, que em alguns casos levam ao zero, nos exigindo assim recomeçar completamente.

Robert Kiyosaki: exemplo de recuperação
Desta forma, fazendo uma breve análise, observa-se que muitos grandes homens de negócios, cujas histórias atualmente inspiram nossas vidas e são frequentemente usadas como exemplo, também já viveram a experiência amarga de "quebrar" e precisar recomeçar. Um bom exemplo disto é Robert Kiyosaki, consagrado autor da franquia de livros "Pai Rico, Pai Pobre", que lançou as famosas "carteiras para surfista", feitas de nylon com fechos de velcro, em 1977, aos 30 anos de idade, e por falhas comportamentais (principalmente pela pressa em enriquecer), terminou falindo este excelente negócio poucos anos depois. Ele, inclusive, gosta de abordar esta passagem de sua vida em seus livros e palestras como exemplo de superação.

Outro grande homem de negócios que também precisou experimentar este tipo de dissabor foi o vietnamita Thái Quang Nghiã, que chegou ao Brasil resgatado por um navio da Petrobras, ao fugir do regime comunista em seu país. Chegando aqui, ele estudou, conseguiu emprego e iniciou a marca Góoc, de sandálias de material ecologicamente correto, sendo que o faturamento da empresa era de R$ 50 milhões, em 2010. Porém, um incêndio destruiu totalmente a fábrica em 2011, e recomeçar foi preciso. Ele terceirizou a fabricação e passou a atuar exclusivamente no desenvolvimento dos modelos, na sua divulgação e comercialização.

Observe que, quando começamos a pesquisar sobre a trajetória de Kiyosaki e outros grandes homens de negócios, dificilmente encontramos informações sobre este tipo de situação, e isto se deve a um fator que o próprio Kiyosaki aborda em suas obras: a sociedade ocidental condena o erro, de maneira cruel, desperdiçando assim o aprendizado que pode ser obtido.

Ou seja, assim como a vida em geral, a educação financeira requer de nós também a capacidade de aprender com as falhas, que inevitavelmente virão, e recomeçar. Algumas destas falhas poderão resultar em pequenos prejuízos, outras em prejuízos mais substanciais, mas todas nos indicarão novos caminhos e oportunidades de melhoria, que precisarão ser aproveitados. Então, saber recomeçar é importante.