InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

sábado, 11 de junho de 2016

Perdi meu emprego!!!! E agora????

T
enho intensificado o uso do perfil que possuo na rede social corporativa LinkedIn (aqui) e nesses constantes acessos é possível observar um fato que me leva aumentar a minha fé nas pessoas e, ao mesmo tempo, a uma reflexão. O que me leva a aumentar a fé nas pessoas é que, diante do quadro econômico desfavorável, muitas pessoas tem compartilhado perfis de usuários que foram demitidos, bem como alguns usuários dizem ter conseguido se recolocar graças à rede de contatos do LinkedIn.

Agora, vamos à reflexão, ou seja, a pensar se as pessoas que hoje tem um emprego estão preparadas, ou ao menos tem algum nível de planejamento para caso venham a também perder seus empregos. Esta costuma ser uma "situação limite" para muitos, e é também um momento em que a vida poderá se definir como uma trajetória de superação ou como uma trajetória de insucessos.

O que fazer nesta hora tão difícil?

1. Na verdade, a solução para esta situação não começa quando ela ocorre, mas sim antes. É preciso fazer uma reserva financeira para esta emergência. O ideal é acumular o equivalente a 12 meses do seu atual salário líquido, mas com 6 meses, já se tem um "colchão" de razoável tamanho;

2. Você fez uma reserva de emergência para 12 meses, mas o desemprego pode durar mais. Sendo assim, revise imediatamente, juntamente com sua família, o seu orçamento doméstico (repare que esta é também uma medida que depende de algo que já deveria ser feito previamente, no caso, o orçamento) para definir as despesas a serem cortadas.

Desemprego: um desafio para o planejamento financeiro
3. Contemple no NOVO orçamento os investimentos necessários para conseguir um novo emprego (passagens de ônibus ou metrô para entrevistas de emprego, inscrições e cursos preparatórios para concursos, etc...)

4. Interrompa quaisquer gastos ou projetos que você estivesse fazendo para coisas supérfluas, mesmo que seja aquela tão sonhada viagem à Disney, pensada e planejada com carinho durante os últimos 5 anos, para o aniversário de 15 anos da sua filha. Lembre-se, porém, de retomar estes objetivos depois que a situação se resolver e o orçamento permitir.

5. Evite ao máximo fazer novas dívidas e mantenha as já existentes sob controle, com os pagamentos das parcelas ou das faturas sendo incluídos no seu NOVO orçamento. Ficar com o nome "sujo" só vai atrapalhar ainda mais em um momento já tão conturbado.

6. Planeje e avalie que tipo de trabalho ou emprego você está realmente procurando. Priorize possibilidades que estão no seu atual patamar e caso o tempo de desemprego se prolongue demais, consumindo, por exemplo, 50% da sua reserva de emergência, avalie a possibilidade de reduzir o nível de exigência e aceitar uma proposta de emprego ainda que não seja tão atraente ou mesmo temporário. É preciso fazer a reserva de emergência durar o máximo possível, para que a busca pelo emprego ideal possa continuar por mais tempo.

7. Considere desfazer-se de um bem como um automóvel para ter uma reserva de emergência durante mais tempo. Quanto à casa própria, só vale a pena vendê-la se for para comprar um imóvel mais barato e com menores custos de manutenção e de condomínio, por exemplo. Calcule também as despesas decorrentes desta mudança (custos cartorários, transporte dos móveis, etc...), pois é possível que não compense e até custe mais caro.

8. O momento é indiscutivelmente delicado, mas desesperar-se é pior. Procure um amigo ou um parente no qual você realmente confia e tenha um momento para conversar e desabafar com essa pessoa.

9. Mantenha seu currículo atualizado, inclusive no LinkedIn, e mais que isso: procure manter interações, até mesmo informando que você está procurando recolocação no mercado. Não é vergonha mostrar que está procurando emprego.

10. Considere a possibilidade de não procurar um emprego, mas sim uma oportunidade de empreender. Há muitas pessoas que logram êxito fazendo isto. O Adriano Duarte, que também escreve este blog, já abordou este tema antes (aqui).

Se você não está desempregado, torço que continue prosperando, mas guarde estas dicas com você. Se você estiver desempregado, comece a aplicar as dicas que for possível aplicar e pode me escrever para discutir a situação e acharmos uma solução.