InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

sábado, 11 de julho de 2015

Quando a riqueza é um problema...

H
á um senso comum que nos faz pensar que a riqueza financeira é uma solução inquestionável para os diversos aspectos da vida, e assim vamos em frente, buscando enriquecer, porém, nem sempre de forma total, porque para tal, alguns matam, enganam e roubam, prejudicando assim outras pessoas e a si próprios. Este tipo de pensamento é um dos paradigmas que nosso blog e outros educadores financeiros desejam quebrar.

A realidade é que a riqueza, quando não vem de forma estruturada e planejada é muito mais difícil de ser administrada. É por isto que muitos ganhadores de prêmios de loteria e similares tem dificuldade em manter esse dinheiro e terminam empobrecendo de novo, justamente porque aquilo não foi planejado, mas sim pura sorte. É aí que entra a educação financeira, exatamente para equilibrar este estado de coisas e permitir que esta sorte seja devidamente aproveitada.

Nesta semana o site Terra (aqui) abordou em uma reportagem como a Noruega, um dos países mais ricos do mundo, está lidando com o fato de que a sua situação amplamente favorável está formando cidadãos inconsequentes, que gastam e consomem de forma desordenada e são hoje, o povo com maior endividamento pessoal da Europa, pelo fato de que o país lhes provém muitos recursos. 

O maior banco do país está buscando famílias polonesas, que tenham conhecimento de orçamento doméstico e de finanças pessoais para servir de exemplo e até mesmo ministrar cursos nas escolas primárias, porque há ali responsabilidade suficiente para entender que a população está "mimada" e, portanto, precisa se conduzir no caminho certo. Observem que o foco são as ESCOLAS PRIMÁRIAS, ou seja, as crianças, as novas gerações.

Já abordamos antes neste blog a necessidade de ter um controle financeiro constante e consistente, mesmo quando a sua renda familiar é elevada, pois a riqueza financeira, por si só, não é um remédio infalível, e precisa ser cultivada. Ela pode ser interminável ou não, depende de quem a administra. E só quem tem conhecimento, equilíbrio e responsabilidade pode tornar uma riqueza financeira interminável e mantê-la sempre a serviço de seus donos. 

Se em um país como a Noruega, que detém a maior bolsa previdenciária do mundo e é um dos mais ricos, ainda assim é preciso manter o controle orçamentário familiar e aprimorar sua educação financeira, nós, aqui no Brasil, também precisamos superar esta barreira e crescer neste aspecto, porque esta é uma das formas que temos de amadurecer enquanto nação.