InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

sexta-feira, 6 de março de 2015

Refinanciamento: esta é mesmo uma solução para você?

H
á momentos na vida financeira de uma família em que uma verdadeira tempestade surge à frente. Este tipo de situação envolve normalmente um quadro de endividamento mais elevado ou o desejo de, por exemplo, abrir uma empresa, mas o capital disponível está longe de ser o suficiente para isto e aí é preciso buscar mais dinheiro, o que implica quase que inevitavelmente em financiamentos ou empréstimos.

Diante deste tipo de oportunidade de negócios, as instituições financeiras oferecem no mercado as linhas de crédito chamadas de refinanciamento, que são créditos que frequentemente liquidam operações anteriores e ainda deixam uma "graninha" na mão do devedor, já que o valor a ser concedido é calculado em função do valor das garantias, que por sua vez, são normalmente formadas por imóveis ou veículos que o candidato ao crédito já possui. Em alguns casos, a operação de crédito para aquisição dessas mesmas garantias é quitada por refinanciamentos.

As taxas de juros envolvidas no refinanciamento são menores do que as praticadas pelo mercado em outras modalidades de crédito (cartão de crédito, cheque especial, crédito pessoal, etc...), haja vista a disponibilização de, como pudemos ver acima, uma garantia real, o que reduz os riscos de prejuízo para o banco ou financeira que concederá o crédito e lhes dá, portanto, condições mais favoráveis para operar.

Apesar de parecer uma solução "instantânea" e "fácil", vale a pena fazer uma importante ressalva: em caso de inadimplência, o bem dado em garantia é executado pelo credor e a pessoa que contraiu este tipo de crédito, a depender do saldo devedor e do valor da garantia, pode vir a ainda amargar um saldo a pagar para a quitação de suas obrigações, mesmo já tendo perdido seu patrimônio. Desta forma, como em qualquer modalidade de crédito, há um risco de inadimplência. Entretanto, para quem tem dívidas mais caras, a troca por um refinanciamento certamente se mostrará vantajosa.

Antes de pensar em um refinanciamento, é importantíssimo que primeiro seja feita uma criteriosa análise da sua situação para avaliar se obter mais crédito (e consequentemente endividar-se mais) será mesmo uma solução, que será combinada com um controle orçamentário forte, ou se esse crédito será simplesmente a "pá de cal" na sua vida financeira.