InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

2015: o ano da coragem

F
eliz Ano Novo!!!!! Que 2015 seja um ano repleto de conquistas e que você, que nos acompanha, possa alcançar seus objetivos e aumentar seus níveis de auto-realização!!!! Agora, vamos começar a pensar a respeito do ano que acaba de começar, mas que será desafiador do ponto de vista financeiro, conforme pudemos ver nas brilhantes observações do nosso entrevistado, André Massaro (aqui).

Conduzir as finanças familiares sempre será uma tarefa importante, mas neste ano especificamente, três atributos serão fundamentais: equilíbrio, responsabilidade, e principalmente, coragem. Mas porque "coragem"? Coragem será importante porque o cenário econômico brasileiro, por mais que o governo insista no contrário, é complexo, com uma inflação que alcançou um patamar elevado, ainda mais que o crescimento do PIB, mais uma vez, foi muito ruim. A tendência, portanto, é de retração, de prudência e poucos investimentos das empresas. Ou algo muito bom será feito, ou 2015 também será um ano de crescimento pífio. 

André Massaro, em sua entrevista ao nosso blog, sugeriu que as melhores modalidades de investimento neste começo de ano, e bem provavelmente para todo o ano, serão as de renda fixa. E ele está certo, afinal, com a SELIC nos atuais 11,75% anuais e com tendência de novos aumentos, é uma quase certeza de boa rentabilidade com baixo risco e eu também vejo como boa solução no curto prazo.

Teremos de ter coragem sim, porque mais do que nunca teremos de fazer o nosso dever de casa:

1. Controlar os gastos;
2. Manter o orçamento doméstico equilibrado;
3. Ser muito criteriosos no uso do crédito (cada vez mais caro), e;
4. Não perder nossos objetivos de curto, médio e longo prazo de vista.

Entretanto, investir é uma prática que precisa atender o curto, o médio e o longo prazo. Desta maneira, tomarei aqui a ousadia de discordar um pouco do André, no tocante ao mercado de ações, já que há fortes indícios de que diversas empresas estão com suas ações bastante subvalorizadas e com forte potencial de crescimento nos próximos anos. Ainda assim, apesar de seguir investindo em ações, eu, neste momento, evitaria a Petrobras, afinal ninguém sabe de fato o tamanho dos seus problemas de ordem institucional, político e principalmente, legal. Tudo isto interfere sobremaneira na gestão e nos fundamentos da empresa.

Mas nem tudo é pessimismo e devemos mesmo é começar o ano com a fé de que teremos a coragem necessária de fazer o que precisa ser feito, e que no final do ano, estaremos financeiramente mais fortes e com esperança de que daqui a um ano estaremos falando de fartura e de perspectivas bem mais animadoras.

Feliz 2015!!!!!