InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Poupança X Fundos de Investimento: a guerra continua!

M
ais uma vez o Governo optou pelo aumento da taxa básica de juros, a SELIC, desta vez de 7,5% para 8% anuais, em uma medida motivada essencialmente pela ameaça de aumento da inflação e pela necessidade de conter o consumo. Para quem tem investimentos, por exemplo, em fundos de investimentos de bancos, trata-se de uma elevação da rentabilidade, mas ela é suficiente?

Neste cenário, quem tem investimentos na caderneta de poupança pela regra antiga, ou seja, anterior a 04/05/2012, na qual os valores são remunerados a TR + 0,5% ao ano, está experimentando um retorno que segundo a tabela abaixo, do site da Revista EXAME, só pode ser superada pelo Tesouro Direto, por exemplo, em aplicações na faixa dos 18 meses:
Prazo de investimentoVelha poupança*Nova Poupança*CDB 90% do CDIFundo DI com taxa de 1,0% a.a.Tesouro Direto**
6 meses3,04%2,73%2,73%2,65%2,92%
12 meses6,17%5,54%5,74%5,60%6,14%
18 meses9,39%8,42%9,04%8,85%9,68%
24 meses12,72%11,39%12,26%12,06%13,16%
25 meses13,28%11,89%13,20%12,99%14,16%
(*) A TR foi considerada zero, pois varia de acordo com a data de aniversário da aplicação e, atualmente, a taxa média mensal tem se aproximado de zero.
(**) Foi considerado o investimento por meio de corretoras que não cobram taxa de administração para aplicações no Tesouro Direto
Porém, não é mais possível fazer aplicações na poupança pela antiga regra, então pensemos pela nova regra, que consiste em remuneração de 70% da Selic + TR . Por esta nova regra, a poupança perderia para o Tesouro Direto já na faixa dos 6 meses de investimento, desde que a taxa da corretora seja de até 0,8% a.a., o que realmente não é difícil de conseguir.
Por fim, há ainda os CDBs e os Fundos de Investimento DI, que conforme a tabela, venceriam a chamada "Nova Poupança" na maioria dos cenários, mas desde que rendam 90% do CDI, no caso dos CDBs, ou cobrem no máximo 1,0% anual de taxa de administração, nos casos dos Fundos de Investimentos, o que, salvo honrosas exceções, requer volumes elevados de recursos investidos. Isto se deve à incidência de imposto de renda, algo que não acomete a caderneta de poupança.
Desta forma, em meio a esta verdadeira "guerra" de índices e de valores, a melhor alternativa entre os chamados investimentos de renda fixa é ainda o Tesouro Direto, seguido pelas aplicações que exigem mais recursos e por fim, a caderneta de poupança. Agora cabe a você fazer um exercício de educação financeira e analisar seus objetivos ao investir, o horizonte de tempo e o valor investido, depois, é só escolher, investir e realizar seus sonhos!