InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Marketing Multinível: o negócio do século XXI?

Num dos primeiros artigos escritos para o Enriquecimento Total, fiz uma pequena referência ao Marketing Multinível (MMN), também chamado de Marketing de Rede ou Network Marketing. Provavelmente, o leitor já ouviu falar de pelo menos duas empresas que trabalham nesse segmento. E tão provavelmente quanto, deve ter sido abordado por algum amigo, colega ou vizinho que trabalha para uma das referidas empresas. Pois saiba que o MMN pode oferecer muitos benefícios para o educado financeiramente, entre aprendizado, rendimentos complementares, visão de mercado e de negócios, entre outros aspectos interessantes.

Robert Kiyosaki, em um vídeo disponível na Internet, considera o MMN um dos modelos de negócios mais adequados para o empreendedor moderno. Isso porque o modelo das empresas de MMN funciona como uma espécie de franquia de baixo custo – se considerarmos as franquias tradicionais de lojas de cosméticos, por exemplo – acessível a boa parte dos postulantes a empreendedores. Além disso, as principais empresas do setor com atuação no Brasil já possuem uma certa consolidação e boa visibilidade no mercado local, facilitando a promoção dos produtos e conquista de novos clientes.
Recentemente, conversei com uma gerente - responsável por uma rede - de uma das empresas de MMN líderes no país, atuante no segmento de complementos alimentares e cosméticos. Segundo ela, no passado trabalhou no extinto Banco Econômico e foi professora da rede pública de ensino, mas atualmente dedica-se exclusivamente ao negócio de MMN, tendo total liberdade de escolher o dia e a hora que deseja trabalhar. Acrescentou que, se ela passasse três meses sem dedicar-se ao negócio, os rendimentos da rede a permitiriam viver sem dificuldades.
Com efeito, este modelo de negócios, quando corretamente planejado e conduzido, oferece estas e outras vantagens não encontradas nos empregos tradicionais. Teoricamente, um empreendimento em MMN não possui limites de expansão, rendimento e abrangência. É possível oferecer todo tipo de produto ou serviço, qualquer pessoa com um relativamente pequeno capital inicial pode ser um “franqueado” e qualquer pessoa pode ser um potencial comprador, desde que esteja disposta e/ou tenha condições de pagar pelos produtos/serviços.
Naturalmente, nem tudo é um mar de rosas no MMN. Um dos problemas está no valor dos produtos/serviços. Como as empresas líderes, em sua maioria, são multinacionais com sede no exterior e seus produtos são importados, o impacto de nossa política tributária é sensível. E mesmo que os produtos fossem fabricados localmente, haveria o peso da transferência de tecnologia e de royalties a encarecer o produto. Outro fator que depõe contra o MMN é a atuação de alguns “franqueados” na promoção dos produtos, num comportamento típico de “vendedor de loja de bairro”: diferentemente do que apregoa a metodologia do MMN, trabalha na base do “vencer pelo cansaço”, acabando por gerar um marketing negativo para as empresas do setor. Quem já não ouviu falar nos míticos “herbalóides”?
Embora o fim último do MMN é promover e vender produtos e/ou serviços através de canais informais de marketing direto, o negócio principal do “franqueado” é montar, expandir e gerenciar uma rede. É na rede que se auferem os maiores lucros na forma de consumidores que também fazem o papel de vendedores, os quais estimulam outros consumidores a também serem vendedores e assim por diante, numa progressão geométrica. Por isso que aqueles que se limitam a vender não conseguem crescer no negócio, enquanto que os que promovem e gerenciam suas redes nem precisam vender muito para obter grandes retornos financeiros.
Para quem deseja experienciar o MMN como uma forma de complementar o orçamento doméstico ou mesmo atuar plenamente neste segmento, com vistas a ser dono do próprio tempo e se permitir ganhos extraordinários que não seriam possíveis em empregos tradicionais, recomendo ler bastante sobre o assunto e visitar os sites das principais empresas do segmento. Existem publicações específicas sobre o tema, sendo que eu particularmente recomendo o livro “Network Marketing com a Esperteza das Ruas”, de Robert Butwin. O livro apresenta ideias práticas de promoção e gerenciamento de uma rede, com o objetivo maior de conseguir grandes resultados com esforço reduzido.
Desejo muito sucesso a todos!