InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

sábado, 28 de julho de 2012

Ações: parece mas não é...

N
a teoria, os investidores tem um padrão de comportamento previsível, do tipo "efeito manada", com um movimento de migração de aplicações da renda fixa para a renda variável quando a primeira começa a apresentar resultados decrescentes. Esta situação normalmente exige que, para alcançar uma determinada rentabilidade, que é o desejo ou meta do investidor, passe-se a correr mais riscos, ou seja, que a renda variável, principalmente ações, absorva maiores percentuais dos valores para investimento.

Entretanto, nos últimos meses, aqui no Brasil a Taxa Selic vem sofrendo cortes frequentes e está agora a 8% a.a., sua mínima histórica e com perspectivas de novos cortes. Tal redução da taxa básica da economia brasileira está provocando inclusive uma diminuição da rentabilidade da mais popular aplicação financeira, a caderneta de poupança, o que em tese, deveria provocar uma verdadeira corrida às ações, mas não provocou, o índice Ibovespa vem sofrendo quedas frequentes (apesar de ter registrado altas ontem e hoje). O que houve?

O mercado segue receoso a respeito da crise econômica européia e dos movimentos da economia chinesa, e como muitas das empresas com ações comercializadas na bolsa brasileira (inclusive algumas das principais) trabalham com commodities e tem nestas economias consumidores no mercado externo, seu resultado financeiro tende a piorar, e portanto, diminui a atratividade de suas ações. Com menos atratividade, mais investidores vendem e menos investidores compram, formando assim as quedas dos preços das ações. 

Ao decidir investir em ações, quando você for traçar sua estratégia, é preciso considerar estes aspectos, pois o momento teoricamente é muito bom para comprar ações, já que há várias cujo preço atualmente estão abaixo do valor patrimonial das respectivas empresas. Isso se dá porque o valor reflete um "estado de espírito" a respeito dos rumos daquela empresa, a partir de uma crise que não está aqui e não prejudica os seus fundamentos, portanto, é de se esperar uma recuperação mais à frente que vai "premiar" quem investiu no momento de baixa. Esta é a "lógica" de operar com ações.

Para quem quer entender mais sobre estratégias para investir no mercado de ações, recomendo o blog do Investidor Defensivo, que compartilha suas estratégias e seus movimentos com quem quer aprender um pouco mais sobre o mercado de ações.