InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Os oito atributos da mulher rica – 4


C
omo um presente especial aos nossos leitores, principalmente para as mães, continuaremos a série de oito atributos da mulher rica, com um tema muito próprio a elas. Neste artigo, abordaremos a generosidade (doação).

Entre as mulheres o sentimento filantrópico flui com mais facilidade do que entre os homens. Ou, usando os termos de Suze Orman, elas se doam mais. E não se pode esperar menos delas, pois é da natureza feminina. A doação é constitui um dos principais passos para o Enriquecimento Total, entretanto, como bem observa a citada autora, é preciso saber doar(-se).
Quando se fala em doação, a primeira imagem que vem à mente é a da contribuição monetária para entidades filantrópicas e religiosas, mas a generosidade vai muito além disso. O trabalho voluntário, a dedicação a parentes e amigos, seus momentos com o namorado/noivo/marido, estas e outras coisas têm a ver com a generosidade. Doação de tempo, esforço – seja ele físico ou mental, dinheiro, posses... Como diz um provérbio árabe: “se tens posses, dá de teus bens; se não os têm, dá de teu coração”. E é aí que reside a grande questão da generosidade: saber o que dar, como dar e por que dar.
Tempo, esforço e bens são artigos valiosos, ainda que os dois primeiros sejam imateriais. Tendo isso em vista, precisamos ser educados financeiramente também na administração destes valores. Assim como ninguém em são consciência anda jogando dinheiro pela rua, a esmo, também não podemos jogar fora tempo e esforço com coisas “sem futuro”. Como diz o prof. Masaharu Taniguchi, tempo é vida e a nossa vida não deve e nem pode ser desperdiçada. Tempo também é dinheiro, como reza o dito popular. Portanto, relacionamentos infrutíferos, cursos que fazemos apenas para “passar o tempo”, atividades que não nos agregam nada de útil, bens que apenas imobilizam dinheiro com manutenção... Sejamos honestos conosco mesmos, busquemos nos munir de coragem – conforme o artigo anterior – e saibamos nos desfazer desses empecilhos ao nosso enriquecimento verdadeiro.
A doação deve ser fonte de alegria tanto para quem doa como para quem recebe. É uma via de mão dupla que beneficia todas as partes envolvidas. Portanto, para saber se a forma como (se) doa é a mais correta, verifique seu estado de espírito no momento da doação. Se você sente que está “cumprindo uma obrigação”, “fazendo um sacrifício”, “se livrando de um fardo” ou “investindo para ganhar mais lá na frente”, esqueça: essa não é uma doação espontânea e verdadeira, e não beneficia a ninguém, mesmo que pareça beneficiar. Em algum momento, a farsa se revelará e sobrarão apenas ressentimentos.
Wallace T. Wattles assevera que enriquecemos para beneficiar a sociedade, no que é corroborado por Masaharu Taniguchi, Charles Fillmore e outros pensadores. Portanto, doar com o intuito de contribuir para o progresso da nação é uma característica de pessoas de mente rica. O magnata da tecnologia Bill Gates, após tornar-se um dos homens mais ricos do mundo, deixou os negócios para dedicar-se à filantropia, através de sua fundação. Mas não precisamos estarmos tão ricos quanto ele para fazermos a nossa parte.
Grandes personalidades públicas de coração magnânimo como Madre Teresa de Calcutá e Irmã Dulce não possuíam bens e propriedades, mas trabalharam em prol de seus semelhantes e, para elas, nunca faltou nada. Não viveram na opulência por desejo pessoal, pois para elas a maior riqueza era ver o sorriso satisfeito daqueles que elas ajudavam. E, muitas vezes, mesmo para nós que não temos a mesma missão desses anjos de paz, o sorriso de um ente querido ou até mesmo de um desconhecido é o nosso maior tesouro.
Cristo dizia: “Aquilo que fizeres a um destes pequeninos irmãos, a mim o fizestes”. Portanto, façamos aos nossos semelhantes aquilo que gostaríamos que nos fizessem, caso estivéssemos na mesma situação do outro. A isso se chama misericórdia. Ajudar, colaborar, compartilhar conhecimentos e experiências, trocar ideias, ou simplesmente oferecer uma palavra, um sorriso, um ombro amigo: gestos de valor imensurável e que não custam absolutamente nada. Mas que enriquecem a nossa vida e nos preparam para saltos maiores de riqueza e aprimoramento pessoal.
Sucesso a todos!