InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

quinta-feira, 19 de abril de 2012

E o cenário mudou mais uma vez... O que fazer agora?


O
 governo fez mais um profundo corte na Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira, desta vez de 0,75 pontos percentuais, reduzindo-a agora a 9% a.a, conforme já era esperado pelo mercado e pelos economistas, mas como isto vai interferir no seu planejamento financeiro? A principal interferência é que duas importantes medidas precisarão ser adotadas neste momento:


1 – Orçamento doméstico: se você ainda não o controla, é fundamental que você comece imediatamente ou se você já o controla, reforce este controle com urgência, pois ao estabelecer taxas de juros menores, a idéia do governo é de estimular o consumo, e nós já abordamos aqui mesmo no blog os efeitos nefastos do consumo exagerado (consumismo). Portanto, vamos sim aproveitar este momento mais propício ao consumo, mas com cuidado e principalmente, com planejamento.

2 – Política de investimentos: você também precisará rever seus investimentos, caso seja investidor em ativos financeiros, pois conforme mostram os últimos levantamentos de dados, a caderneta de poupança, o mais conservador dos investimentos, passará agora a ser mais atraente em 80% das comparações com os fundos de investimentos de renda fixa, já que não tem incidência de Imposto de Renda para pessoas físicas e não são cobradas taxas de administração.

Ainda a respeito de investimentos, a tendência, com mais este corte da Selic, é que os investidores que tem perfil mais agressivo ou estão buscando rentabilidades maiores, intensifiquem os investimentos no mercado de ações, podendo elevar o Ibovespa e aumentar a rentabilidade de quem já tinha aplicações em ações e estava aguardando o melhor momento para resgatar e realizar os lucros. Outro mercado que também deverá passar por modificações é o de títulos da dívida pública, pois os títulos atrelados à Selic, os LFT, deverão perder em interesse e, portanto, em valor de mercado, favorecendo-se os títulos pré-fixados (como os LTN e NTNF) que tenham sido pactuados com taxas acima dos 9% anuais.

O que isto tudo significa, mais uma vez, é a necessidade de manter a atenção quando o assunto é dinheiro, pois o mundo é muito dinâmico, além de que também que precisamos estar sempre informados para saber o que fazer a cada mudança de situação.

Até a próxima!