InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

quarta-feira, 21 de março de 2012

Herdeiros: cuidado com eles!!!!!


O
utro dia eu estava ouvindo o excelente programa "Na Ponta do Lápis", com o Prof. Marcos Silvestre, na BandNews FM e ele tocou em um ponto fundamental para o momento em que finalmente alcançamos nossa independência financeira, que é como lidar com os parentes "abutres", considerando-se que normalmente nesta fase as pessoas estão alcançando ou já alcançaram a chamada terceira idade.

Em algumas famílias, nesta fase, os herdeiros começam a se "preocupar" demais com a vida financeira dos pais, avós, tios e outros idosos, de forma que acabam tomando conta dos bens deles, o que nos casos extremos pode provocar consequências nefastas como o empobrecimento desnecessário das vítimas, que vão parar em asilos ou serão maltratados nas casas dos parentes, inclusive aqueles que já cobiçavam seu patrimônio. A solução seria, segundo o Prof. Marcos Silvestre, que os idosos evitem que outras pessoas tenham informações sobre suas finanças além do necessário e principalmente que não seja estimulada a dependência financeira. Em resumo: os parentes tem que se virar como todo mundo. Uma ajuda aqui e ali, no máximo! 

Outra observação extremamente pertinente do Prof. Marcos Silvestre é de que não somos obrigados a deixar um patrimônio para os herdeiros, exatamente o contrário do que comumente se pensa na nossa cultura. A escolha do que fazer com o dinheiro é exclusivamente sua, portanto, esteja à vontade inclusive para usar todo o dinheiro após sua aposentadoria. Você já educou seus filhos, inclusive financeiramente, já cumpriu sua obrigação, então, eles estão aptos a trilhar seus próprios caminhos.

Warren Buffett, o megainvestidor americano, que já determinou em testamento como seus bens devem ser destinados após sua morte, deixou quase todo o dinheiro para a fundação Bill & Melinda Gates, e para seus filhos, um percentual minimo de seu patrimônio, declarou: "quero dar a meus filhos bastante dinheiro para que possam fazer o que quiserem, mas não dinheiro o bastante para que não façam nada." Além disto, ele sempre educou os filhos a buscar seus próprios objetivos, evitando mantê-los amarrados à uma "promessa", no caso, a herança. Exemplos como este reforçam cada vez mais uma realidade, a de que cada um é responsável por seu destino financeiro e que dinheiro não cai do céu.  

Até mais, pessoal!