InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Vai para a bolsa em 2012? Faça a lição de casa antes (por André Massaro)


Para a maioria dos investidores, em especial aqueles menos experientes, 2010 e 2011 são anos para serem esquecidos. Nesses dois anos, as principais ações testaram a paciência e os nervos dos investidores. Foi um período realmente difícil, ainda mais para quem assistiu o grandioso mergulho das ações em 2008 seguido de surpreendente recuperação.
Para o investidor que trabalha baseado em tendências, o cenário que ocorreu em 2010 e 2011 é o pior possível: aquilo que no jargão se chama de “mercado de lado”
, quando fica sem tendência definida, caindo e subindo de uma forma meio errática.
Não se sabe como o mercado vai se comportar em 2012. Uma análise preliminar pode nos levar à conclusão que os problemas econômicos que fizeram a bolsa se comportar tão mal nos últimos dois anos estão longe de estarem solucionados, mas algumas pessoas apostam que os mercados podem se recuperar em 2012.
Devo deixar claro aqui que não é meu caso. Eu não “aposto” em nada. Não sou um jogador e nunca fui, e confesso que fico um pouco incomodado quando ouço pessoas falarem em “jogar na bolsa”. Quem “joga” vai ao bingo ou ao cassino. Pessoas que vão à bolsa para “jogar” costumam ter vida curta.
Mas para aqueles que pretendem se aventurar no mercado de renda variável nos ano que vem e ainda não têm grande intimidade com esse mundo, aqui vão três dicas:
1 - Jamais aceite “dicas” (incluindo as minhas)
Você quer ter sucesso na bolsa? Então estude. Não estou dizendo para virar um PhD em mercados de capitais, mas ao menos saiba o básico para conseguir distinguir uma informação bem fundamentada de uma dica furada.
A maioria dos investidores iniciantes (e alguns nem tão iniciantes assim) ainda corre desesperadamente atrás da dica “matadora”, como se isso existisse. Viram presas fáceis dos espertalhões de plantão e dos gurus financeiros de araque que povoam os fóruns de bolsa da internet.
Sempre se pergunte: “por que alguém me daria uma dica?”. Aquela pessoa consegue ganhar muito dinheiro com suas próprias dicas? Ela já é rica? Por que alguma “alma caridosa” iria te dar (ou vender) o mapa do caminho da felicidade?
2 - Desenvolva sua própria estratégia
Conheça um pouco sobre as diferentes “escolas” de análise de investimentos. Em especial as duas mais importantes (análise fundamentalista e análise técnica). Tenha em mente que nenhuma delas é perfeita e cada uma tem suas vantagens e desvantagens. Procure saber quais são as vantagens e desvantagens de cada uma e use-as a seu favor.
3 - Expectativas e risco
Tenha expectativas realistas quanto ao retorno. Existem pessoas que conseguem lucros altíssimos em suas operações, mas as perdas, quando ocorrem (e elas SEMPRE ocorrem) costumam ser igualmente altas. Não acredite que aquela rentabilidade fantástica que você conseguiu em um único mês vai se repetir para sempre, e sempre trabalhe dentro dos limites de seu capital. Estabeleça limites de perda para cada operação que realizar. Lembre-se que a perda é inevitável, mas você consegue controlar o quanto perde.
Lembre-se sempre do velho clichê do mercado: “corte as perdas rapidamente e deixe os lucros fluírem”.
Seguindo essas três recomendações, sua chance de sobreviver (e de prosperar) na bolsa aumentará muito, e já posso te desejar antecipadamente um “Feliz 2013”.

André Massaro
Especialista em finanças pessoais e educador financeiro
Twitter: @andremassaro