InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

sábado, 30 de julho de 2011

A Saúde Financeira dos Casais

Olá, Pessoal!

Hoje vamos voltar a abordar uma questão importante para nosso progresso financeiro: a saúde financeira dos casais. Nós já vimos neste blog, que a vida financeira muda radicalmente quando passamos de solteiros a casados (clique aqui) e desta maneira, a forma como conduzimos nossas finanças no casamento podem inclusive deteriorar a relação.


Quando falamos em saúde financeira de casal, costuma-se pensar que a diferença de renda entre os cônjuges é obrigatoriamente um problema. Isto não é verdade, desde que aquele que ganha mais, assuma proporcionalmente a maior parte das despesas da casa. Por outro lado, aquele que ganha menos precisa ser cuidadoso com suas despesas individuais, evitando sobrecarregar o seu cônjuge. Nem preciso dizer que não é recomendável achar que o cônjuge que ganha mais é o "dono" da situação, ou do casal.

O grande problema costuma residir nos padrões comportamentais, por exemplo, quando um dos cônjuges é "gastador" e o outro é "pão-duro" (saiba mais). Claro que as pessoas não são iguais, mas é fundamental que os comportamentos sejam moderados (tanto o "gastador", quanto o "pão-duro"), senão, um cônjuge pode estar contribuindo para aumentar o patrimônio do casal e o outro, dilapidando-o. Pior ainda se os dois são "gastadores", aí é que a saúde financeira vai para a UTI. Se os dois forem "pães-duros" a tendência também não é positiva, pois pode significar a criação de um patrimônio sobre uma carga exagerada de sacrifícios.

A solução é o diálogo para definição das prioridades e formação do orçamento, o compartilhamento de projetos de vida, sem perder de vista a necessidade de alcançar objetivos individuais. Uma sugestão interessante, do blog "Como Investir", é dividir o orçamento do casal em três contas: a dele, a dela e a do casal (clique aqui).

Até mais, amigos!