InícioBlogEventosVídeosOs autoresContatoRecomendamos

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Crédito: benção ou maldição?

Amigos, para este artigo, pensaremos de forma inversa, já começando pela resposta: crédito é uma maldição para quem não tem controle, e é uma benção para quem tem controle, aliás, como tudo que se refere a finanças pessoais.
Os especialistas, de forma (até onde sei) unânime, defendem que as compras sejam sempre realizadas à vista, o que evidentemente é bom, já que promove uma economia de juros e outros encargos financeiros. Entretanto, percebo que pouco se fala sobre o uso responsável do crédito e como este pode, de fato, contribuir para a realização de seus desejos/necessidades, sem, no entanto, lançá-lo no abismo do endividamento crônico.
Agora você deve estar se perguntando: “como é que eu posso usar crédito, de forma responsável, sem me meter em uma roubada?” E eu respondo, fazendo como estamos propondo, logo abaixo:
1º: Evite usar o crédito na compra de bens perecíveis ou de rápido consumo, ou seja, compras de supermercados. O motivo é que estas compras precisam ser feitas a cada 30 dias, no máximo, e se você dividir cada compra dessas em 3 parcelas, logo você estará acumulando dívidas por compras já consumidas.
2º: Limite suas despesas com crédito. A soma das faturas dos seus cartões de crédito, empréstimos bancários, carnês e outras dívidas, jamais deve ser pesada a ponto de impedir que você cumpra com as demais obrigações, inclusive a maior delas: investir para sua independência financeira! Controle tudo com uma planilha e você saberá se pode pagar, e quanto pode pagar nas parcelas daquele sapato novo ou celular da moda.
3º: Não saia aceitando qualquer proposta de crédito. Existem ofertas de crédito que são maldições por natureza! Avalie com calma a taxa de juros de cada uma e evite ter mais que 4 ou 5 possibilidades de dívidas.
4º: Não encare os cartões de crédito como extensões de seu salário. Ter um limite alto é bom apenas para atender EMERGÊNCIAS, fora isso, o que vale é o item 2 (“Limite suas despesas com crédito”). Ah! Lembre-se de sempre pagar o valor total das faturas, do contrário, você estará refinanciando valores que já deveriam estar quitados.
5º: O que falamos acima, também vale para o Cheque Especial, que também não é extensão de seu salário e tem taxas de juros altíssimas. Entretanto, ele também tem seu valor, para EMERGÊNCIAS que vão ser rapidamente resolvidas. Se usou o Cheque Especial e percebeu que não vai cobri-lo logo, providencie um empréstimo tipo CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e reponha o valor na conta. Desta forma, você deixa de pagar 10% a.m. de juros para pagar uma taxa inferior à metade.
Agindo desta forma, e pesquisando sobre outras possibilidades de uso responsável do crédito, você terá um importante aliado para alcançar seus sonhos, e contribuirá com o desenvolvimento da economia brasileira.
Até a próxima! E agora você pode se comunicar conosco através do e-mail: enriquecimentototal@hotmail.com